Ir para conteúdo

Curitiba entra no top 10 dos destinos de eventos e negócios da América Latina

Curitiba entra no top 10 dos destinos de eventos...

Curitiba está entre os dez principais destinos para eventos de negócios na América Latina de 2019. Pela primeira vez, a capital paranaense aparece no ranking da CWT Meetings & Events, divisão da empresa global de gestão de viagens Carlson Wagonlit Travel (CWT). O levantamento foi divulgado, nesta semana, e faz parte do relatório Meetings & Events Future Trends 2019, com as previsões relacionadas a reuniões e eventos corporativos para as cidades latino-americanas no próximo ano. São Paulo (1º), Rio de Janeiro (4º) e Curitiba (9º) são as cidades brasileiras apontadas no levantamento.

Com Curitiba aparecendo no ranking pela primeira vez, a cidade é uma aposta para o mercado de eventos e negócios porque oferece uma boa estrutura de hotéis, espaço para eventos, transporte e opções para noite, além de ter tido um aumento expressivo do número de eventos de empresas feitos na cidade.

“Curitiba está crescendo muito, e a oferta e qualidade de espaço de eventos corporativos aumentou. No ano passado, o PIB de Curitiba cresceu 2,5%, após três anos de retração. A previsão para este ano é que cresça 2,9%, o que deve atrair negócios e, consequentemente, eventos corporativos”, afirma Gustavo Elbaum, diretor da CWT Meetings & Events para América Latina.

Curitiba Mais

A presidente do Instituto Municipal de Turismo, Tatiana Turra, avalia que a escolha de Curitiba como um dos dez principais destinos de eventos e negócios da América Latina é resultado de um trabalho conjunto do município e do setor de turismo da cidade para reposicionar a capital neste segmento.

“A excelente qualidade dos serviços, a disponibilidade de centros de eventos e convenções de vários portes e a grande oferta de hospedagem são diferenciais que garantem a Curitiba este posicionamento privilegiado no ranking do turismo de eventos e negócios no país e América Latina”, afirma ela.

Tatiana destaca também que, desde o início da gestão do prefeito Rafael Greca, a cidade vem desenvolvendo várias ações com o objetivo de atrair mais eventos e turistas. “Em 2018, a cidade lançou o Curitiba Mais, programa de coordenação, articulação e apoio técnico ao setor. Além disso, no começo do ano, entrou no ar o guia de espaços para eventos, plataforma on-line desenvolvida pela equipe técnica do instituto, com informações para ajudar produtores de congressos, feiras e shows que pretendem trabalhar em Curitiba”, lembra ela.

ISS menor

Ainda de acordo com Tatiana, um grande passo para que Curitiba tenha um desenvolvimento ainda mais sustentável do turismo de eventos e negócios foi dado, em julho deste ano, com a aprovação na Câmara Municipal das alterações na Lei nº 107 de 20/12/2017, idealizada pelo prefeito Rafael Greca, que especificam os setores de eventos (feiras, exposições, congressos e shows) com redução da alíquota do ISS de 5% para 2%.

“Com a aprovação da lei em 2017 e a regulamentação dos segmentos em 2018, plantamos as sementes que começaremos a colher em 2019 e 2020, pois haverá um crescimento ainda maior de eventos e da demanda por hotéis, bares, restaurantes, prestadores de serviços, entre outros”, observa Tatiana. Ela recorda que a redução do ISS era uma antiga reivindicação do segmento de turismo de Curitiba.

A capital paranaense vem se destacando, desde o ano passado, no turismo de negócios, que todos os anos atrai mais de 200 eventos e 350 mil visitantes para a cidade. Em 2017, Curitiba foi o terceiro destino mais procurado por estrangeiros que vieram ao Brasil fazer negócios ou participar de eventos e convenções. Perdeu somente para São Paulo e Rio de Janeiro.

Vocação

Uma pesquisa do Ministério do Turismo mostra a forte vocação de Curitiba para o turismo de negócios. Esse segmento foi a motivação de 32,5% dos visitantes internacionais que estiveram na cidade em 2016. Mais que o dobro dos 15% que buscaram a cidade tendo como interesse principal as atividades de lazer. Argentina (12,2%), Estados Unidos (11,6%), Paraguai (10,9%) e Alemanha (7,2%) foram os principais países emissores no período.

Em 2016, em todo o Brasil, o gasto per capta de turistas de negócios era US$ 82,54 e, em 2017, subiu para R$ 90,1.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Quer compartilhar?